Cooperativismo em alta na 2ª Mostra

Compartilhe:

Práticas envolvendo economia solidária nos estados serão apresentadas durante os três dias do evento.

A Economia Solidária é uma forma diferente de desenvolver geração de renda a partir do trabalho coletivo. Tem como objetivo satisfazer as necessidades de uma parcela da população por meio do uso dos recursos naturais de forma consciente e responsável. Não há patrão nem empregado, todos decidem em conjunto e se beneficiam igualmente dos frutos gerados pela produção. É um movimento dinâmico, vivo, que fortalece as comunidades por onde passa.

A atividade gera renda para 2,3 milhões de pessoas no País e movimenta cerca de R$ 12,5 bilhões por ano, de acordo com pesquisa da Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes). Para trabalhadores que encontram dificuldades de entrar no mercado, as cooperativas surgem como uma boa opção. No Brasil são mais de 30 mil empreendimentos econômicos solidários e o faturamento deles chegou a 0,33% do Produto Interno Bruto (PIB) do País em 2010, cerca de R$ 3,7 trilhões.

A atividade terá espaço reservado na 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, que acontece entre os dias 20 e 22 de setembro, no Anhembi, em São Paulo. Na oportunidade, psicólogos apresentarão 26 trabalhos – em formato de pôsteres e vídeos - envolvendo Economia Solidária nas áreas de saúde, trabalho, questões da terra e assistência social.

Um exemplo é o da Articulação Ética e Solidária para um Consumo Responsável (ConsumoSol), em São Carlos, interior de São Paulo. A iniciativa, além de promover a dinamização econômica da região, deixa o consumidor atento em relação às conseqüências sociais e ambientais do consumo.

“Atualmente trabalhamos com as implicações dos resíduos sólidos. O material foi planejado de forma didática, para que as pessoas possam utilizar livremente dentro e fora da escola. Nossa expectativa é que vire uma política pública na cidade de São Carlos”, ressalta o psicólogo Renan Soares, um dos membros do ConsumoSol.

Um vídeo com atuação e produção dos usuários de saúde mental do Instituto de Saúde Mental do Distrito Federal também será exibido durante a 2ª Mostra. A produção relata as práticas de uma das oficinas do local, de culinária, e, mais do que isso, fala da transformação na vida destas pessoas por meio da economia solidária.

O psicólogo acredita que a economia solidária é fundamental como concretização do ideário da reforma psiquiátrica: "É a inserção do sujeito na produção, não necessariamente de valor, mas  cultural, regional mesmo, criando uma bagagem que é devolvida para a sociedade como fonte de seu produto. O fato da economia solidária poder contribuir financeiramente modifica o status que o usuário de saúde mental tem e ele passa a ser uma pessoa mais valorizada", relata ele.

Não há a ilusão, segundo Pellegrini, de que a assistência social não é necessária, mas também não defende o paternalismo. "Devemos mostrar ao sujeito que ele também pode agregar outras rendas na sua vida. Se ele contribuir para o sustento próprio já é muito bom", conclui.

Conselhos solidários

Além dos trabalhos apresentados, para ajudar a promover ainda mais a economia solidária nos estados, cada Conselho Regional de Psicologia (CRP) ficou responsável por levar à 2ª Mostra atores sociais envolvidos com a ação. No CRP do Mato Grosso do Sul, por exemplo, quem vai à São Paulo é a Central de Comercialização da Economia Solidária, que apresentará artesanatos fabricados pelos índios do estado.

O CRP/MS levará, ainda, a Associação de Mulheres Organizadas Reciclando Peixe “Amor Peixe”, do município de Corumbá, no Pantanal Sul.  Os artefatos produzidos incluem bolsas, agendas, carteiras e presilhas de cabelo, todos confeccionados com o couro de Tilápia do Rio Paraguai.

O CRP de João Pessoa também tem a intenção de promover a arte local. Para que isso ocorra, já começou a entrar em contato com alguns artesãos do estado, convidando-os para apresentar seus trabalhos no maior evento de Psicologia do País, uma oportunidade e tanto.

Ficou interessado? Conheça estas e outras práticas da Psicologia na 2ª Mostra e seja você também parte da construção deste grande evento! As inscrições são abertas a qualquer interessado e podem ser feitas clicando aqui.

A reprodução das notícias é autorizada desde que seja citada a fonte: Conselho Federal de Psicologia.

1 Comment

  1. Lizia V. Barcellos says:

    Boa noite à todos!
    Fico bastante satisfeita em ver que tantas pessoas participam de atividades dentro do projeto Economia Solidária e, ainda mais, em perceber o quanto a Psicologia está aberta para debater e praticar a solidariedade de uma forma produtiva e ética!
    Sou psicóloga e vivo em Florianópolis, Santa Catarina. Gostaría de conhecer e entrar em contato com profissionais e redes de pessoas que também se interessam e estejam engajadas em algum projeto deste tipo. Quero me colocar à disposição destes trabalhos e quem tiver interesse em me contatar pode fazer isto através do meu email: lizia.barcellos@gmail.com
    Por enquanto é isto.
    Aguardo retornos e desejo boa Mostra à todos!

    Reply

Leave a Reply to Lizia V. Barcellos