Câmara dos Deputados celebra 50 anos da Psicologia

Compartilhe:

A Psicologia será homenageada pelos deputados federais em comemoração aos 50 anos de regulamentação da profissão no Brasil, nesta sexta-feira (31/8), em uma sessão solene, às 15h no Plenário Ulysses Guimarães. A sessão, aberta ao público, foi requerida pela deputada federal Erika Kokay (PT-DF), psicóloga por formação.

Para Erika Kokay, a homenagem reafirma a importância da profissão nas políticas públicas para o desenvolvimento da sociedade. “Estamos abrindo o Congresso Nacional, que é a casa que representa os anseios do povo, que tem na sua essência a democracia, para dizer que, nestes 50 anos, o que temos de mais concreto é a necessidade de termos estes profissionais em todas as políticas públicas, para que possamos definitivamente puxar os fiapos de vida que estão debaixo de um país tão desumanizado e construir um novo amanhã. É o poder legislativo rendendo sua homenagem e fazendo referência aos profissionais deste país.”

O presidente do CFP, Humberto Verona, destaca o compromisso da psicologia com a sociedade. “São 50 anos construindo a psicologia no Brasil e temos muito orgulho, hoje, de sermos uma profissão que se apresenta socialmente importante em ajudar a população para um caminho de democratização, redução das desigualdades em busca de justiça social.”

Na Sessão Solene, os convidados discutirão os caminhos traçados pela psicologia de 1962 até os dias atuais, e os desafios a serem superados na profissão. O objetivo é fortalecer o compromisso social e a busca pela construção de práticas mais democráticas e cidadãs.
Serviço:
Sessão Solene em homenagem aos 50 anos da Psicologia
Dia: 31/8/2012 (sexta-feira)
Hora: 15h
Local: Plenário Ulysses Guimarães.
Aberta ao público

A reprodução das notícias é autorizada desde que seja citada a fonte: Conselho Federal de Psicologia.

3 Comments

  1. Terezinha says:

    Nesse próximos 50 anos, nossa principal luta, como Psicólogos deverá ser o de resgatar os Menores Dependentes de Substâncias Psicoativas, (Drogas), pois a demanda tende cada vez mais a aumentar, em nossos consultórios, ocasionando todos os tipos de violências e traumas. nosso foco deverá ser a criança e o adolescente, pois esse será o Adulto de amanhã,e para que a lei ou o narcotráfico não venha a puni-lo. O assustador avanço do uso abusivo de substâncias psicoativas no mundo e em particular em nosso Município e adjacente aliado ao crescente poderio da atividade denominada “tráfico de drogas” tem afetado profundamente a indivíduos, famílias, sociedade e governos. FORMA DE VIOLÊNCIA
    O fenômeno é preocupante uma vez que não está isolado em si mesmo, necessitando ser analisado sob variados aspectos como históricos, culturais, políticos, ideológicos e psicológico.

    O tratamento Psicológico é uma ajuda eficaz para quem tem necessidade de liberar as próprias energias vitais para poder ser um homem em seu sentido pleno, adulto e autônomo, capaz de realizar um projeto de vida construtivo, de aprender a estar bem consigo mesmo e com os outros sem a ajuda de substancias psicoativas” Febract, 1998

    Atr.227 caput, (Constituição Federal de 1988), Que estabelece ser dever da família, da Sociedade e do Estado assegurar à criança e o adolescente, com absoluta prioridade, o direito á vida , à saúde, à alimentação à educação, ao lazer,à profissionalização, à cultura, à dignidade humana, ao respeito,à liberdade e a convivência familiar, e comunitária, além de colocá-los à salvo de toda forma de negligência, descriminação, exploração, violência e crueldade e opressão.
    C.F.B. de 1988

    Instrui o menino, ou menina, no caminho em que devem andar, pois após isso até quando envelhecer não se desviará dele.
    Provérbios 22 : 6

    Disse Jesus: Deixai vir a mim os meninos e meninas, e não os atrapalhes que dos tais serão o reino dos céus.
    Mateus 19: 14
    Bíblia

    Então aos colegas Psicólogos, que iremos construir os próximos 50 anos, a luta que nos espera será bem árdua, em prol das crianças e adolescentes, em relação à dependência Química, mas creio que aliados aos nossos governantes e ao Conselho Federal de Psicologia, brindaremos essa nossa construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Parabéns ! ! ! Terezinha Rodrigues de Carvalho

    Reply
  2. Márcio says:

    Devido a campanha política para vereador e prefeito em algumas cidades do Nordeste tive que alterar, no sentido de excluir do pôster os nomes das cidades as quais foram feitas a pesquisada. Segundo algumas autoridades dessas cidades, que tiveram contato com o trabalho escrito na 2ª Mostra, pediram, com muita educação, a não inclusão dos nomes das cidades em qualquer material que citasse algum fato que "sujasse a imagem" dos seus mandatos. Inclusive, os mesmos pediram que os nomes e sobrenomes não aparecessem em banner, panfletos e, no caso da 2° Mostra em pôsteres. Acredito na democracia, no meu trabalho nessas cidades, nas possibilidades de discussão com os atores sociais envolvidos no movimento social em pro da descoberta de suas próprias condições. Sendo assim, como um pesquisador que acredita na transformação durante o processo histórico, obedeci a todas as regras impostas pelas autoridades envolvidas, pois sei que as mudanças não ocorrerão a partir de um simples trabalho apresentado, mas dos próprios indivíduos envolvidos nos seus processos históricos

    Reply
  3. celia says:

    Gostaria de deixar claro minha indignação sobre os salários do psicologo nas prefeituras do Brasil. Não é possível estudar mais de cinco anos, gastar com pós graduação etc e não ter um salario base ficando a merce dos prefeitos pagarem um salario miseravelmente pra nós que temos uma responsabilidade grande dentro dos CRAS,CREAS, SAUDE e muitos outros, espero que os deputados psicólogos pensem nisso... inclusive sobre nossa carga horaria.

    Reply

Leave a Comment