Ambiente social como espaço terapêutico

Compartilhe:

Psicólogo utiliza museus, parques, cinemas e cafés em São Paulo para tratar pacientes com grave sofrimento psíquico.

O Acompanhamento Terapêutico é uma nova opção de tratamento aos pacientes psiquiátricos com grave sofrimento psíquico, como esquizofrênicos, autistas, dependentes químicos e indivíduos com fobia e pânico social. O atendimento é utilizado como técnica alternativa no tratamento de pacientes de consultório, dependendo do momento e quadro clínico apresentado.

Há 10 anos o psicólogo René Schubert atua na nessa área. Suas sessões ocorrem na cidade de São Paulo, em consultórios de psicoterapia e saúde mental, clínicas psiquiátricas, hospitais, escolas e até mesmo em museus, parques, cinemas e cafés da capital paulista. O trabalho de Schubert será apresentado durante a 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, que acontece entre os dias 20 e 22 de setembro, no Anhembi, em São Paulo.

Segundo René, o tratamento é um recurso de reinclusão social cada vez mais utilizado no campo da saúde mental. “A clínica de articulação objetiva o alívio do sofrimento por meio do contorno dado em atividades sociais, culturais assim como a interrelação e a reinserção na realidade após o desencadeamento da crise. Sua atuação se dá no espaço público, fora das instituições convencionais de tratamento”, diz.

De maneira geral, nos primeiros momentos do atendimento, são feitas entrevistas e saídas curtas e em locais vizinhos à clinica e consultório. “É importante ver qual a expectativa do paciente, sua demanda, suas fantasias e o mais importante, qual é a sua história e como ele se implica nesta”, considera o psicólogo. “Antes de fazer interpretações ou diagnósticos apressados é preciso escutar o indivíduos para elaborar um projeto terapêutico”, completa.

Schubert acredita que a exposição na 2ª Mostra da sua experiência na ressocialização de pacientes psiquiátricos contribuirá para auxiliar e fortalecer a prática entre os profissionais que também atuam na área. “Escolhi um tema comum ao psicólogo clínico que demonstra uma abrangência que, pelo menos eu, não aprendi na faculdade ou em pós-graduação. Espero que estimule outros colegas uma reflexão acerca da saúde mental”, pontua.

Sobre a Mostra

A 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia marca o ápice das comemorações dos 50 anos da regulamentação da profissão no Brasil. Ao todo, já são mais de 19 mil inscritos em todo o País.

Será um evento rico em experiências, trocas e intercâmbios entre psicólogas, psicólogos e sociedade. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feitas no site: http://mostra.cfp.org.br.

A reprodução das notícias é autorizada desde que seja citada a fonte: Conselho Federal de Psicologia.

1 Comment

  1. Flavia Lemos says:

    A ideia é interessante, isto já acontece no Brasil há muito tempo por meio do AT e devia ser articulado os dois para mostrar que temos esta experiência no país feita pelos trabalhadores da saúde mental. Também seria legal se fosse articulado com movimentos ambientalistas (ecológicos de luta e via campensina, mst, movimentos de luta por teto).

    Reply

Leave a Comment